É chamada de 'modelo do mosaico fluido' a proposta criada por S. J. Singer e G. L. Nicolson para explicar a estrutura da membrana plasmática. As moléculas de fosfolipídios dispõem-se uma ao lado da outra, movimentando-se sempre, porém sem perder o contato umas entre as outras. Já as proteínas estão incrustadas numa lâmina dupla de fosfolipídios; elas podem ficar na superfície da membrana ou mergulhadas nela, atravessando-a.